Anamorfose. Is this real life? (O.o)

Assistam ao vídeo e questionem-se: “Is this real life?”

Sim! Isso é “anamorfose”. Uma técnica usada para distorcer o ponto de vista de um objeto em 2D, para parecer que ele tenha 3 dimensões.

Maneirasso, né!

E essas coisas aí na sua mesa. 2D ou 3D? Tem certeza? ;)

Anúncios

Trailer: Oz, Mágico e Poderoso

 

No post passado elencamos “Oz, Mágico e Poderoso” um de nossos filmes mais aguardados pra 2013.

O filme traz uma releitura do clássico infantil, onde um “não exemplar” mágico de circo é expulso de sua terra natal e acaba indo para a mágica Terra de Oz, onde ele pretende encontrar fama e fortuna. Como é a Disney, três feiticeiras – Theodora (Mila Kunis), Evanora (Rachel Weisz) e Glinda (Michelle Williams) – o descobrem e fazem o possível para esfregar a realidade na cara do artista Oscar Diggs (James Franco).

Convencido a seguir seus objetivos e não cometer os erros do passado, o mágico fica atento para só manter ao seu lado quem é bom. E assim, com muita ilusão, se transforma no poderoso Mágico de Oz, e em uma homem de melhor índole também.

Será? ;)

Enquanto o filme não vem, tire suas conclusões aqui no trailer dublado:

Ou se preferir, liga o cérebro no inglês e dá o play no link abaixo:

Por aqui, continuamos com aquele desejo de “vem bem, 2013!” :)

Pokemóns by Tim Burton

Antes de você falar “Ai Aaaaaaudrey, Pokémons? Afe, eu já cresci!“, eu sei, amiguinho.

Na real, assumo aqui publicamente que eu nunca assisti uma temporada inteira de Pokémon (ou Pocket Monsters, há!) também, mas tenho miniaturas dos bichinhos porque eles são uns lindos e realmente se proliferam, afinal, todo o mundo os conhece.

Maaaas, o Tim Burton eu sei que você conhece, já assistiu, gosta e záz, então continua lendo o post aqui, que a coisa está boa hoje, rs

E se… tivesse uma série especial cult de Pokémons desenhados pelo mestre Tim Burton?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Eu iria colecionar. =D

Frankenweenie, de Tim Burton

Quando você ler por ai que “o Tim Burton fez uma NOVA versão para o Frankenstein” você por gentileza, grite “é mentira!

Seguinte, gente: (o cara não nasceu sabendo, então) Era uma vez Tim Burton, em 1984, estudante do Instituto de Artes da California, que gravou em curta metragem uma paródia do Frankenstein original, de 1931, para uma trabalho da faculdade. Sua obra não agradou os professores, mas o cara tinha um certo respeito lá, porque ele era aprendiz júnior em animação de uma empresa que pagava seus estudos. A empresa chamava… hum, como é mesmo o nome? Ah, Walt Disney Company.

Bom, pelo que eu li, mesmo com essa moral toda, a animação feita pelo jovem Burton foi tão ruim que ele foi demitido .(O.o). Segundo a Walt Disney “não vale a pena investir em alguém que após esse tempo todo de estudos, faça algo como ‘Frankenweenie’ – considerado baixo, assustador e inadequado para a época.” Ui Disney, sua braba!!

Só que… “Pé na bunda é impulso” já dizia alguém por aí :) E saindo da Disney, o tal do Burton fez uns acertos pela vida, como “As Grandes Aventuras de Pee-wee“, “Beetlejuice“, “Edward Mãos-de-Tesoura“, “O Estranho Mundo de Jack“, “A Noiva-Cadáver” e enfim várias outras mega obras únicas. O importante é que agora, três décadas depois, a Disney paga a língua ao recuperar Frankenweenie e lançá-lo em stopmotion. Há!

Calma, Tim Burton e a Walt Disney Company são amigos. Tá aí a última obra dessa parceria, Alice no País das Maravilhas, que não me deixa mentir!

Bom, em Frankenweenie, o pequeno Victor utiliza um raio para ressuscitar seu melhor amigo, o cãozinho Sparky. Acontece que a ressurreição veio em forma de monstro, haha. Ele tenta esconder sua cria, mas quando Sparky foge de casa toda a cidade entra em pânico.

Agora é espera Outubro pra essa belezura sair no cinema e ver os monstrinhos Johnny Deep, Helena Bonham Carter e Michelle Pfeiffer by o magnífico Tim Burton! Ou enquanto isso, interage com o site do filme :)

Ai claro!! O trailer de Frankenweenie:

Gael García Bernal é o novo Zorro

Vou deixar o Zorro pra depois e começar o post falando desse lindo do Gael! <3

Essa excelência mexicana, filho de atores, é um inteligente ator, diretor e produtor de filmes e séries. Continuou o legado da família em maravilhas como “Amores Perros” de Iñarritu,  “Y Tu Mamá También” de Alfonso Cuarón, “Vidas Privadas” de Fito Páez, “Má Educação” de Pedro Almodóvar, “Diários de Motocicleta” de Walter Salles, ente outros mais de 30 filmes, novelas, séries, e cositas en tv.

Pronto. Gael devidamente idolatrado e apresentado. Ele é casado e tem um filho com a atriz argentina Dolores Fonzi, mas isso ninguém precisa saber ;)

Agora sim, Zorro!

Abertura original do Zorro – 1957. Série estrelada por Guy Williams em preto e branco.

Relembrando, o último filme sobre o personagem foi “A Lenda do Zorro” (2005), com Antonio Banderas como Don Diego de la Vega, que também foi vivido pelo ator espanhol em “A Máscara do Zorro” (1998).

Agora olha, um monte de coisas novas vêm por aí. Primeiro que essa nova versão de Zorro – chamada Reborn – não é hollywoodiano (truco, Hollywood), e sim gravado pela Fox e produzido pela Sony. Há!

Depois que, contrariando a história original e colocando itens futuristas, a história não vai retratar conflitos entre EUA e México, e virá com um zorro pós-apocalíptico desolado, com menos espadas e mais vingança. Eita!

Bom, Lee Shipman e Brian McGreevy são os roteiristas dessa futura pérola, e pelo que eu li, ainda não há um roteirista contratado. Gael García Bernal entrou na história contratado pela Fox.

Olha, eu sou suspeita pra comentar algo a favor, porque tenho um affair com filmes/atores mexicanos, latinoamericanos em geral… mas dessa vez a galera parece ter acertado viu. Nunca me interessei por Zorro. Só digo que esse vou certamente assistir. De Antonio Banderas pra Gael García Bernal… clap, clap, clap, clap!!

Quem prevê uma série do Zorro vindo aí pela Sony levanta a mão o/

Star Wars na Era Vitoriana

 

Podem se passar 3876 anos, sempre vai ter uma alma criando algo em cima de Star Wars.

Dessa vez eles estão na Era Vitoriana do Século XIX e o dono dessas ilustrações é o canadense Terry Fan.

E se você é fã da saga, não deixe de ir ao cinema assistir o Episódio I em 3D. Estreia hoje!

Graphic – peça que une HQ, cinema e teatro

A cada dia que passa a cultura de HQ vem chegando aqui em Salvador (nem preciso dizer que isso me deixa muito contente) e dessa vez ela chegou em cima dos palcos!

Nesse final de semana pretendo não perder a peça Graphic, espetáculo que consegue unir o uso de 3 tipos artísticos: quadrinhos, cinema  e teatro.

O diretor e roteirista é Paulo Biscaia Filho, dono da produtora Vigor Mortis e contou que Graphic “É uma peça sobre angústia no século XXI, mas não é uma montagem tendenciosamente filosófica. Nada disso. Gostamos de fazer montagens acima de tudo empolgantes e divertidas. É um conto sobre três personagens estranhos, melancólicos e divertidos.”

Dessa vez os privilegiados serão os soteropolitanos!

A peça acontecerá no Theatro XVIII, no Pelourinho
Nos dias 25, 26 e 27 de novembro (esse final de semana!)
Na sexta e no sábado começará às 20h. No domingo será mais cedo, às 19h
E olha o preço: R$ 5,00 =D

Vai perder? Depois não reclamem que coisas legais não aparecem por aqui!

+ info