Daytripper | Uma viagem ao centro do seu universo

Pare um pouquinho, olhe para trás e reflita sobre o seu passado. Quantas vezes você já percebeu que sua vida deu uma reviravolta? Quantas oportunidades você já deixou escorregar pelos seus dedos? Da pessoa que é hoje, quanto é responsável pelo que viveu ontem?

O acaso, o destino, as escolhas, a vontade de Deus. A decisão de fazer uma viagem mesmo sem ter um puto furado no bolso. A escolha entre um emprego ou outro. Uma paixão deixada para trás. O primeiro beijo. Um bate papo em alguma madrugada que o fez sentir-se melhor para segurar as pontas no dia seguinte. Um olho no olho. Um toque. Uma música que o fará lembrar eternamente de um momento, de uma pessoa. O gosto do café amargo. Uma cerveja na mesa de um bar. O sim. O não.

E se hoje fosse o último dia de sua vida? Uma das frases mais clichês existentes neste mundo. Mas e se realmente hoje fosse o último dia da sua vida? E se hoje for o dia do último suspiro do seu amor? Dos seus pais? Do seu cachorro? Do seu melhor amigo? Do seu professor tão querido? Do seu irmão?

Em Daytripper, Fábio Moon & Gabriel Bá nos fazem viajar através de um roteiro e traços impecáveis. Através de Brás (personagem central da HQ) pude analisar o meu passado para ter forças para viver o meu presente intensamente.

E você, o que tem feito da sua vida?

Turma da Mônica em graphic novel :)

Através do feed que assino de Alexandre Matias, fiquei sabendo de um novidade que encheu meus olhinhos de alegria: Graphic Novel da Turma da Mônica!

Não, o responsável pelos trabalho não será Maurício de Sousa, mas foi ele que escolheu os 4 desenhistas que serão responsáveis por criar, no melhor estilo graphic novel, histórias da Turma da Mônica, Piteco, Chico Bento e Astronauta.

O projeto só fica pronto no próximo ano e por enquanto só nos resta estes teasers para  nos deixar ansiosos:

Turma da Mônica por Victor e Lu Cafaggi

Piteco por Shiko

Chico Bento por Gustavo Duarte

Astronauta por Danilo Beyruth

Nelson Rodrigues em quadrinhos

Vestido de Noiva é um dos grandes clássicos do dramaturgo Nelson Rodrigues, onde mistura vida, morte, lembranças, loucuras e alucinações em um peculiar encontro entre Alaíde e Madame Clessi.

Essa obra é uma peça teatral e teve sua primeira encenação em 1943 e até hoje é interpretada por dezenas de grupos teatrais.

E agora é a vez dessa história ser contata através de um graphic novel, roteirizada por Arnaldo Branco e desenhada por Gabriel Góes, que também já ilustrou Nelson Rodrigues em outra adaptação para quadrinhos, o Beijo no Asfalto.

Eu assisti essa peça no ano passado e achei a linearidade bastante complexa, fiquei curiosa pra ver como isso será tratado na HQ, para não ficar demasiadamente confuso.

Vi no Mau Humor.

Imaginação e aventura em Graphic Novel on line

Férias. Essa palavra nos soa tão bem, não é mesmo? Indiferente de quanto o tempo passe, sempre esperaremos por esses dias de descanso, mas nem sempre esse descanso é corporal, pois normalmente tentamos aproveitar cada segundo fazendo coisas que as obrigações diárias não nos permitem.

Jonas é um garoto que terminou a 8ª série e após seu último dia de aula, é levado pelo seu pai para passar as 06 semanas de férias na casa de campo de sua avó.

A ansiedade toma conta de seu ser, pois sabe que ali vai viver muitas aventuras.

Essa estória faz parte de uma Graphic Novel on line, chamada The Wormworld Saga. Daniel Lieske é o artista responsável por criar traços interessantes, com uso de cores e sombras que dão um toque cinematográfico aos desenhos. Ele foge um pouco da ideia dos quadradinhos padronizados e cria uma dinâmica diferente na montagem da história, mesclando imagens “soltas” com imagens dentro dos tais quadradinhos. Bem legal e visualmente agradável.

Olha que bacana de onde vem a inspiração de Daniel:

“A minha principal inspiração vem de filmes dos anos 80 como “A História Sem Fim”, “Os Goonies”, “Indiana Jones” e dos Animes do Studio Ghibli, “Spirited Away “,” Howl’s Moving Castle “. Tento dar ao meu trabalho um clima cinematográfico através da iluminação dramática e encenação.”

Para quem gosta de uma leitura leve, despreocupada e repleta de aventuras fantasiosas, vale a leitura!

O primeiro capítulo (já com versão em português) você já pode ler aqui.

Memória de Elefante – mais um bom HQ

Semana passada terminei de ler mais uma obra de graphic novel. Desta vez foi Memória de Elefante, escrita e desenhada por Caeto. A editora responsável é a Companhia das Letras, com o selo dedicado a quadrinhos, o Quadrinhos na Cia.

Nunca tinha ouvido falar do artista, mas agora, depois de ler e ver sua biografia tão detalhadamente retratada, sinto como se o conhecesse pelo menos um bocadinho.

Na minha parca opinião de entendedora de quadrinhos, sinto-me segura para afirmar que gostei bastante das suas referências, dos seus traços e de suas palavras.

No decorrer do quadrinho ele vai retomando em sua memória de elefante, momentos que lhe foram importantes para construir sua personalidade atual. Entre bebedeiras, ensaios e shows com sua banda de punk-rock, garotas, a busca pelo reconhecimento de sua arte, amigos, seu cachorro maluco, e principalmente seus problemas familiares e financeiros.

A simpatia de Caeto é cativante, e os dramas de sua vida muitas vezes são tratados de forma cômica, me fazendo rir de sua própria desgraça. Mas acredito que essa tenha sido sua intenção.

No meu quarto ou no quintal de casa – lugares que costumo ler – passei por momentos de risadas e até de lágrimas.

Nem preciso dizer que super indico!

Cachalote, grande obra de graphic novel

Uma das coisas boas que aconteceram em 2010 foi o fato de eu finalmente ter adentrado no mundo das graphics novels.

Não sou nenhuma expert no assunto, MUITO longe disso, mas tenho me apaixonado cada vez mais por esta arte, onde quadradinhos ilustrados e balõezinhos textualizados, contam histórias belíssimas que me fazem mergulhar de corpo e alma.

Ontem terminei de ler Cachalote, de Rafael Coutinho e Daniel Galera. Poderia tê-lo lido em apenas um dia, mas de cara a leitura me surpreendeu tanto que fiz questão de ir “degustando” aos poucos a vida dos personagens.

O livro relata 06 histórias de forma não linear e o ritmo que essas histórias são contadas, fizeram com que a leitura ficasse mais empolgante ainda, onde em vários momentos me via voltando páginas para relembrar fatos. Em outros momentos me via parada, observando atentamente um único quadradinho, onde somente figuras o preenchiam, sem nenhum texto, mas com uma enorme quantidade de informação e sentimento.

Antes de ganhar o livro de presente, li uma critica maravilhosa falando que basicamente as histórias tratam de um certo tipo de distância, fato que assino embaixo. Mas acrescento também uma outra percepção, a solidão. Uma solidão proposital, onde cada personagem faz questão de mantê-la, e por isso acredito que a distância tão presente nas relações se dá ao fato de cada um se manter tão só.

Não quero me alongar muito, o meu desejo é que você leia de coração aberto para que tenha suas próprias percepções e conseqüentemente, reflexões, fato que tenho certeza, ter sido o principal objetivo dos autores.

Ah, tenho certeza que você irá se identificar com pelo menos um dos personagens.