A história dos Três Porquinhos contada por uma mídia sensacionalista. Já pensou?

Socorro!! Huguinho, Zezinho e Luizinho Os Três Porquinhos foram presos!!

Me recuso a contar a história dos Três Porquinhos aqui. Se você não sabe: vai se instruir, vai. Seu sem infância!

O post é pra falar do belo cutucão do jornal britânico The Guardian sobre a mídia e esse sensacionalismo todo que vemos por aí. Essa necessidade de cobrir todo e qualquer evento. Essa exaustão e a distorção de fatos importantes. E claro, nos tempos modernos, o público cheio de poder, com voz e mensagens através de interações dessa bendita internet.

Na versão satirizada pelo The Guardian, os Três Porquinhos cozinham o Lobo Mau alegando defesa, pela ‘indefinição’ de propriedade da casa onde eles moram. Mas matar alguém é crime então eles são presos. Dai tem um lado da sociedade que afirma que Os Porquinhos são vítimas, afinal, tiveram a casa ameaçada pelo Lobo 3 vezes já. Mas para outros, cozinhar o Lobo é uma atitude drástica e eles foram longe demais. Daí já viu: opiniões contraditórias é caso de justiça e polícia! E o povo palpita nas redes sociais. E a mídia faz aquele sensacionalismo que todos odeiam adoram. Dai tem o funeral do Lobo e ele vira celebridade. Dai tem o julgamento dos Três Porquinhos. E eles vão no Programa do Ratinho! E depoimento de conhecidos. E a reconstituição do crime… E a nossa visão, ao longe, que é a de acompanhar a história através da cobertura da imprensa, seja ela a história real ou não.

Ah, como o jornal é britânico o vídeo está em inglês e legendado (com leves erros de português, mas vocês são bonzinhos e inteligentes, então conseguem relevar isso que eu sei) mas é facinho de entender.

Ative seu senso crítico e… enjoy!

Anúncios

Websérie do jornal La Nación

Se você não tem dificuldade com a língua espanhola, vale acompanhar a websérie Combinaciones. São 10 episódios tendo como tema, variadas histórias que se passam no metrô argentino.

Quem está por trás disso é o La Nación, um dos principais jornais da Argentina, e você pode acompanhar os capítulos através do site do projeto: http://combinaciones.lanacion.com/

Gostei! Achei a ideia inovadora e tem A-ha na trilha sonora do 1º episódio!

A Luluzinha é mais velha que você!

Acredite, ela agora é uma garotinha de 75 anos! (e devia ser garota propaganda de cosméticos antiidade, rs…)

A personagem de caixinhos foi criada em 1935 por Marjorie Hederson Buel e sua publicação de estréia foi em uma charge, onde ela já aparecia nervosa, em frente a um casal de noivos e jogando cascas de banana no corredor de uma igreja. As charges foram publicadas no jornal The Saturday Evening por 10 anos.

Hoje, a garotinha já está super moderna e ganhou até versão teen no ano passado. Na nova versão da personagem, ela tem um blog e conversa com seus amigos Bolinha, Glorinha, Aninha e Alvinho via Twitter!

Para comemorar os 75 anos da pequena Lulu, a Creative Licensing, empresa responsável pela licença da personagem no Brasil, utiliza o espaço da Fnac Pinheiros (programação na página 8 ) onde apresenta painéis com desenhos de Luluzinha e sua turma, além de 25 antiguidades como brinquedos, livros, mochila e outros objetos  confeccionados dos anos 40 a 60.

“Além do nosso portfólio contemporâneo, temos focado nossos negócios em clássicos como Betty Boop, Gato Félix e, agora, na Luluzinha, porque acreditamos que eles têm um poder muito grande de revitalização, especialmente na área de licenciamento e promoção”, afirmou Hugo Escalera, diretor internacional da Creative Licensing. Segundo Escalera, a empresa também observou que em várias partes do mundo há um culto ao retrô e ao vintage. “Esse poder de reinvenção do personagem pode ser medido pelo sucesso da Luluzinha Teen, que é um projeto brasileiro”, complementou.

Conselho de Comunicação Social será reativado

Ô coisa boa!

O Conselho de Comunicação Social é o órgão que tem como objetivo a tão sonhada liberdade de expressão e liberação de concessões de rádio e de TV.

Como um dos casos mais graves e recentes de censura, temos o jornal Estadão e a operação ‘Boi Barrica‘ de José Sarney.

Agora, segundo informações da Abert, o presidente do Senado Federal enviou cartas para as entidades vinculadas à comunicação, onde solicitou nomes para compor o aposentado órgão que foi criado com a Lei 8.389 de 2001 e ficou vigente até 2006.

A proposta do Senado prevê que o Conselho seja composto por 13 membros eleitos por deputados federais e por senadores (arram, sei). Os indicados serão escolhidos entre representantes de empresas de comunicação, jornalistas, radialistas, artistas e profissionais de cinema e vídeo, além de membros da sociedade civil.

Maaaravilha, Alberto, só falta ser verdadeiro e honesto agora!! ¬¬