Ilustração de ‘Lambuja’

Estou impressionadíssima com as ilustrações desse brasileiro!

Pedro Henrique Ferreira, ou Lambuja, faz preciosidades com lápis e photoshop.

Apreciem e se inspirem:

Anúncios

Filme – Dois Coelhos

Li alguma coisa na internê sobre ‘um tal de Tarantino Brasileiro?’ Hein? O quê? Mas que ousadia! Tá. Fui pesquisar sobre o que se trata e… bom, deixa eu apresentar um cara pra vocês.

Afonso Poyart é sócio e diretor de cenas da produtora Black Maria (sim, aquela que você vê o logo em um monte de curtas) e o cara está lançando seu primeiro longa. O filme chama “Dois Coelhos”. Produção pela Black Maria, roteiro e direção dele mesmo e trilha por André Abujanra. Pra mim já é muito, rs… mas aí você o elenco: Eduardo Moscovis, Alessandra Negrini, Aldine Müller, Marat Descartes, Neco Vila Lobos, o rapper Thaíde e outros.

Já está se perguntando o que esse cara tem de tão bom pra fazer tudo isso? Deixo o trailer do filme para vocês avaliarem:

“Dois Coelhos” teve suas cenas gravadas entre São Paulo e Santos. Terá versão digital e até uma câmera RED.

Pra saber mais, acessa o blog do filme. E comenta aê! por favor!

A Luluzinha é mais velha que você!

Acredite, ela agora é uma garotinha de 75 anos! (e devia ser garota propaganda de cosméticos antiidade, rs…)

A personagem de caixinhos foi criada em 1935 por Marjorie Hederson Buel e sua publicação de estréia foi em uma charge, onde ela já aparecia nervosa, em frente a um casal de noivos e jogando cascas de banana no corredor de uma igreja. As charges foram publicadas no jornal The Saturday Evening por 10 anos.

Hoje, a garotinha já está super moderna e ganhou até versão teen no ano passado. Na nova versão da personagem, ela tem um blog e conversa com seus amigos Bolinha, Glorinha, Aninha e Alvinho via Twitter!

Para comemorar os 75 anos da pequena Lulu, a Creative Licensing, empresa responsável pela licença da personagem no Brasil, utiliza o espaço da Fnac Pinheiros (programação na página 8 ) onde apresenta painéis com desenhos de Luluzinha e sua turma, além de 25 antiguidades como brinquedos, livros, mochila e outros objetos  confeccionados dos anos 40 a 60.

“Além do nosso portfólio contemporâneo, temos focado nossos negócios em clássicos como Betty Boop, Gato Félix e, agora, na Luluzinha, porque acreditamos que eles têm um poder muito grande de revitalização, especialmente na área de licenciamento e promoção”, afirmou Hugo Escalera, diretor internacional da Creative Licensing. Segundo Escalera, a empresa também observou que em várias partes do mundo há um culto ao retrô e ao vintage. “Esse poder de reinvenção do personagem pode ser medido pelo sucesso da Luluzinha Teen, que é um projeto brasileiro”, complementou.